Elogios ao tempo

Ano passado, nesse dia, falei do tempo e talicosa. Vou falar de novo, ou melhor, fazer elogios ao tempo. Os ponteiros seguiram sua viagem circular cá estou eu de novo, ainda mais antigo e sem vontade olhar o espelho, nem pra ver o rosto, nem pra avaliar o que passou. "É bom olhar pra trás e admirar a vida que soubemos fazer", disse o Nando Reis numa música. Vou considerar, portanto. Mas vou olhar pra frente também e tentar pegar uma carona naquele mercedão azul de madeira, no qual eu vim ao mundo como disse há um ano. Ou no carrinho de rolimã, que fiz lá pelos dez. Ou no primeiro fusca, aquele que pegou fogo na bunda. Andar...essa é a coisa. De mercedão de brinquedo, de carrinho de lomba ou de fusca. Pra onde? Hummm...quando decidir, conto aqui. Vinte e três de dez, de novo. Viva eu. Nada de velinhas no bolo, elas lembram os ponteiros do relógio e se gastam rápido demais, lembrando que o tempo já foi. Eu ainda não fui, mas vou, no meu caminhãozinho azul. Vinte e três de dez, de novo. Viva eu, e os meus. Ainda estou por aqui, por aí, pulsando, tentando me decifrar. O tempo passa, mas não decifra por si. Amanhã já é outro ano, anunciando o enigma de mais dias que virão circularmente, numa estranha espiral em que eu deslizo e de quando em quando, marco a passagem, fazendo pedidos, fazendo acordos com o tempo, como diz poeticamente o Caetano.

 

ORAÇÃO AO TEMPO

Caetano Veloso

Es um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que eu te digo
Tempo tempo tempo tempo

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definitivo
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo

O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]